Recentemente acabaram as eleições dos novos Sambas Enredo 2020 nas Disputas de Samba das Escolas para o próximo Carnaval. Para matar a curiosidade pelos hinos atuais, neste Post se encontram todas as composições, acompanhados pela Letra, informação do Titulo do Enredo.

Pouco tempo atrás, a Liesa finalizou as gravação oficiais com todas as Escolas do Grupo Especial na Cidade do Samba e publicou os resultados. Confia por aqui todos os Sambas de Enredo atuais para o Carnaval 2020 e aprende sua Letra!

Sambas Enredo 2020: Estação Primeira de Mangueira

A Verdade Vos Fará Livre

Eu sou da Estação Primeira de Nazaré
Rosto negro, sangue índio, corpo de mulher
Moleque pelintra do buraco quente
Meu nome é Jesus da gente

Nasci de peito aberto, de punho cerrado
Meu pai carpinteiro desempregado
Minha mãe é Maria das Dores Brasil
Enxugo o suor de quem desce e sobe ladeira
Me encontro no amor que não encontra fronteira
Procura por mim nas fileiras contra a opressão

E no olhar da porta-bandeira pro seu pavilhão
E no olhar da porta-bandeira pro seu pavilhão

Eu tô que tô dependurado
Em cordéis e corcovados
Mas será que todo povo entendeu o meu recado?
Porque de novo cravejaram o meu corpo
Os profetas da intolerância
Sem saber que a esperança
Brilha mais que a escuridão

Favela, pega a visão
Não tem futuro sem partilha
Nem messias de arma na mão

Favela, pega a visão
Eu faço fé na minha gente
Que é semente do seu chão

Do céu deu pra ouvir
O desabafo sincopado da cidade
Quarei tambor, da cruz fiz esplendor
E ressurgi pro cordão da liberdade

Mangueira
Samba, teu samba é uma reza
Pela força que ele tem
Mangueira
Vão te inventar mil pecados
Mas eu estou do seu lado
E do lado do samba também

Ouça por aqui o novo Samba Enredo do Campeão do ultimo Carnaval (2019)

Para saber mais sobre a Estação Primeira de Mangueira e sua história, clique aqui: As dicas de Cartola. Si quiser escutar o último hino do Campeão, confia O Samba Enredo da Mangueira 2019.

O Samba Enredo 2020 da Unidos de Viradouro

Sou Viradouro – Sou Paixão

Sonhei
E um lindo alvorecer raiava o dia
Ao som de uma doce melodia
Xindó, negra Maria me falou
Poeta do céu vermelho e branco de paixão
Leve de “jangada” inspiração
Nas águas desse amor sublime amor
Cafuza, mulata na cor
La luta, na raça, estou
Mãe lavadeira, pai pescador
No Abaeté chão de estrelas
Cantei liberdade e a fé me guiou

Lá no areal, lá no areal
Tem clamor de ganhadeira
Yalodê ya clareia
Oh meu Deus nos traga Sol

Deixa eu rodar a minha saia no terreiro
Com flores e águas de cheiro
Pimenta, dendê e alecrim
Passando à frente mãezinha
Valei-me senhor do Bonfim
À são salvador me alumia
Valei-me senhor do Bonfim
Eu sou
Essência brasileira, a esperança
Sambando mar aberto entrei na dança
Virei enredo do seu carnaval
E o mundo inteiro a me abraçar
Eu tenho na resistência, a força da mulher
O canto de igualdade é meu afã
Punhos cerrados
Sou ganhadeira de Itapuã

Um banho de axé purificou
A mente, o corpo, o samba, a batucada
O som do atabaque ecoou
Na bênção do meu protetor
Sou Viradouro e tô de alma lavada

O hino 2020 da Unidos de Vila Isabel

Gigante pela própria natureza

Levante voo, rasgue o azul do céu jaçanã
Escute a voz desse povo de Noel, jaçanã
Desbrava essa terra colorida
Fervilhante em tons e vida
Onde o sonho despertou!
Brasil, o curumim que viu
Maravilhas mil para contemplar
O arco dispara a flecha e abre a trilha na mata
Para um novo mundo de esplendor
Tu verás nascer Brasília tão diversa e multicor
Pintam cores na aquarela
Desse povo vencedor

Deixa as lágrimas rolar Paranoá
O candango se encantou ao ver a coroa girar
Do planalto ouviu swingueira tocar
Fina bossa à cantar

Asas são caminhos percorridos
O olhar sangue perdido vislumbrando a catedral
Veja a irmã desse menino ir traçando seu destino
Despontava a capital
Santa, livrai-nos do mal e da dor que assola
Soberana senhora!
A flor resplandecente tão amada se abriu
Por gente que é guerreira, brasileira e faz
Unidos pela fé em oração
Oh! Mãe venha abençoar
Nos traga a felicidade
Rogai, rogai por nós!

Cai no samba pra exaltar Brasília
A Vila, a Vila
A joia do cerrado és princesa
Gigante pela própria natureza

Para saber mais sobre a Unidos de Vila Isabel e sua história, clique aqui: A Escola do Martinho. Si quiser escutar o último hino da Vila, confia O Samba Enredo da Vila 2019. Caso que te interessa o Samba mais famoso e mais popular entre os Sambas históricos, confia a parte sobre o Kizomba no Capitulo Os Sambas Enredo inesquecíveis.

Sambas Enredo 2020: Portela

Guajupiá, Terra sem Males

Clamei aos céus
A chama da maldade apagou
E num dilúvio a terra ele banhou
Lavando as mazelas com perdão
Fim da escuridão
Já não existe a ira de Monã
No ventre há vida, novo amanhã
Irin-Magé já pode ser feliz
Transforma a dor na alegria de poder mudar o mundo
Mairamuãna tem a chave do futuro
Pra nossa tribo lutar e cantar

Auê, auê a voz da mata, oke, oke aro
Se Guanabara é resistência
O índio é arco, é flecha, é essência

Ao proteger karioka
Reúno a maloca na beira da rede
Cauim pra festejar, purificar
Borduna, tacape e ajaré
Índio pede paz mas é de guerra
Nossa aldeia é sem partido ou facção
Não tem bispo, nem se curva a capitão
Quando a vida nos ensina
Não devemos mais errar
Com a ira de Monã
Aprendi a respeitar a natureza, o bem viver

Pro imenso azul do céu
Nunca mais escurecer

Índio é tupinambá
Índio tem alma guerreira
Hoje meu Guajupiá é Madureira
Voa águia na floresta
Salve o samba, salve ela
Índio é dono desse chão
Índio é filho da Portela

Si quiser saber mais sobre o último hino da Portela, confia o Post sobre O Samba Enredo da Portela 2019.

A composição 2020 dos Acadêmicos do Salgueiro

O rei negro do Picadeiro

Ô ô Salgueiro!
Nós negritude pisa forte no terreiro
Ô Salgueiro
O palhaço iluminado é o rei do picadeiro

Hoje que eu vou
De corpo e alma na avenida com o salgueiro
Transbordando de alegria
Vou cair nessa folia
Sou artista brasileiro
Meu pai era o famoso Malaquias
Negro brabo de sinhô
Negro forte de sinhá
Eu moleque beijo já sonhava
Com uma linda fantasia sobre a luz do meu olhar
Um dia a liberdade transformada
Feito um pássaro encantado
Foi o circo que chegou
Viajando fui borrando o meu caminho
Apanhando e aprendendo a me equilibrar na dor

Oh doce liberdade
Oh meu amor verdadeiro
Eu quero viver, sonhar, brincar e me acabar
Brilhar no mundo inteiro

Meu sonho! Num salto se realizou
Nas noites! A plateia delirou
Eu quero para sempre me entregar
Cantar, compor, contracenar
O artista vai aonde o povo está
Vila pra tocar Otelo e Guarani
Pra te emocionar, fazer você sorrir

Para saber mais sobre o último Samba do Salgueiro, confia O Samba Enredo do Salgueiro 2019. Para aprender mais sobre os maiores sucessos na história da Academia, o famoso Explode Coração, confia O capitulo Os Sambas Enredo inesquecíveis.

Sambas Enredo 2020: Mocidade Independente de Padre Miguel

Elza Deusa Soares

Lá vai, menina
Lata d’água na cabeça
Esqueça a dor
Que esse mundo é todo seu
Onde a água santa foi saliva
Pra curar toda ferida
Que a história escreveu
É sua voz que amordaça a opressão
Que embala o irmão
Para a preta não chorar
Se a vida é uma aquarela
Vi em ti a cor mais bela
Pelos palcos a brilhar

É hora de acender
No peito a inspiração
Sei que é preciso lutar
Com as armas de uma canção
A gente tem que acordar
Da “lama” nasce o amor
Quebrar as agulhas
Que vestem a dor

Brasil
Esquece o mal que te consome
Que os filhos do Planeta Fome
Não percam a esperança
Em seu cantar
Ó nega!
Sou eu que te falo em nome daquela
Da batida mais quente
O som da favela
A resistência em oração
Se acaso você chegar
Com a mensagem do bem
O mundo vai despertar
Deusa da Vila Vintém
És a estrela
Meu povo esperou tanto pra revê-la

Laroyê e Mojubá
Liberdade
Abre os caminhos pra Elza passar
Canta Mocidade!
Essa nega tem poder
É luz que clareia
É samba que corre na veia

Samba Enredo 2020 da Unidos da Tijuca

Axé – Expressão de Uma Raça

Ogunhê tem festa no terreiro
Firma magia no couro batuqueiro
Pra saudar meu povo de fé
Manguinhos traz o seu axé!

África
Mãe negra terra ancestral
Trago no orí a força e o poder
A luz no meu carnaval
Axé um brado se ouviu kaô
Kaô meu pai xangô
Laroye exu abre os caminhos
No aye nunca andei sozinho

Faz relampear, oya
Para clarear um mundo novo
Eparrey oya é ventania
Na gira da fé que me guia

Aportei
Na Bahia de São Salvador
Mistério, sincretismo e devoção
Vai ecoar o toque do tambor
Arroboboi unindo amor e paz
Memórias vinda lá dos ancestrais
Na pedra do sal encontrei meu lugar
Omolu consagrou o samba no cais
Herança de um povo feliz
Comunidade mostra sua raiz

O Samba Enredo 2020 do Paraíso do Tuiuti

O Santo e o Rei: Encantarias de Sebastião

Todo vinte de janeiro
Nos altares e terreiros
Pelos campos de batalha
Uma vela pro divino
O imperador menino
Um Sebastião não falha

Nas marés, o desejado
Infiéis pra todo lado
Enfrentou a Lua cheia
No deserto, um grão de areia
Dom Sebastião vagueia
Sem futuro, nem passado

Renasce sob nós, um caboclo encantado
Na praia dos lençóis, é o touro coroado
Vestiu bumba-meu-boi
Até mudou o fado
No couro do tambor foi batizado

Poeira, ê! Poeira!
Pedra bonita pôs o santo no altar
Sangrou a terra, onde a paz chorou a guerra
Mas ele vai voltar!

Rio, do peito flechado
Dos apaixonados
Rio-batuqueiro
Oxossi, orixá das coisas belas
Guardião dessa aquarela
Salve o Rio de Janeiro!

Orfeus tocam liras na favela
A cidade das mazelas
Pede ao santo proteção
Grito o teu nome no cruzeiro
Ó, padroeiro! Toda minha devoção

No Morro do Tuiuti
No alto do terreirão
O cortejo vai subir
Pra saudar Sebastião

Sambas Enredo 2020: Acadêmicos do Grande Rio 

Tata Londirá: o Canto do Caboclo no Quilombo de Caxias

Firma o ponto no terreiro pra Kizomba começar
Vai ter samba de caboclo! Xetruê, Xetruá!
No poder do Ofá, na magia do Afefé
Hoje cada caxiense é o Rei do Candomblé!

Okê, Okê! Um brado n’aldeia a ecoar!
Pintei o corpo de urucum
Vesti o Tricolor-cocar
Eu vim da macaia, lá do Juremá
Sou filho da flecha certeira
O meu caminho Dindinha clareia
Ouvi uma voz, vi aparição
Cantava a jandaia? Será ilusão?
Nas encruzas da estrada, vou seguindo
Entender em Salvador o meu destino!

Aluá, axoxô! Aluá, axoxô!
Pai Jubiabá quilombola
Tatá Londirá kiuá Mutalambô
Quem reina em Gomeia é o Trono de Angola!

Lembranças da roça guardadas em mim
No chão de Caxias ergui meu ilê!
Búzios, juremeira; no ar, benjoim
Magia das ervas de Katendê!
Fiz, do Carnaval, negra liberdade
Fui Ganga Zumba, líder dos Palmares!
Brilhei na leveza do meu bailar
O mundo me deu sua fé: Axé pra coroar!
Os ventos de Kaiango estão sobre nós
E a Grande Rio é resistência, nossa voz!

O Samba Enredo 2020 da União da Ilha do Governador

Nas encruzilhadas da vida, entre becos, ruas e vielas, a sorte está lançada: salve-se quem puder

Senhor, eu sou a Ilha
E no meu ventre essa verdade que impera
Que é invisível entre becos e vielas
De quem desperta pra viver a mesma ilusão
E vai trabalhar
Antes do sol levantar de novo
A voz do rancor não cala meu povo não
Sou mãe dignidade é meu destino
Rogo em prece meus meninos
Ao longe alguém ouviu
Meus filhos são filhos dessa mãe gentil

Inocentes, culpados, são todos irmãos
Esse nó na garganta vou desabafar
O chumbo trocado, o lenço na mão
Nessa terra de Deus dará

Eu sei o seu discurso oportunista
É a ganância, hipocrisia
O seu abraço é minha dor (seu doutor)
Eu sei que todo mal que vem do homem
Traz a miséria e causa fome
Será justiça de quem esperou
O morro desce o asfalto e dessa vez
Esquece a tristeza agora
É hoje, o dia da comunidade
Um novo amanhã, num canto de liberdade

A nossa riqueza e ser feliz
Por todos os cantos do país
Na paz da criança, o amor da mulher
De gente humilde que pede com fé

Sambas Enredo 2020: Beija-Flor de Nilópolis

Se essa rua fosse minha

Peço Licença, ao dono dessa rua
Firmo a gira nas encruzas
Desse chão que me ensinou
Viajo à era glacial
Horizonte ancestral
Matriz que Deus criou
Tormenta que se navega
Ouro, prata e reza
Lenda pra gente acreditar
Lá vou eu nessa roda gigante
Nilopolitano eterno aprendiz
Nas minhas veredas ficou cicatriz

Eu vou eu vou
Nos caminhos que passei
Não esqueço meu passado
Nem por onde eu andei
Iluminou pela estrada real
A coroa do sonho imperial

Eu fui um fiel peregrino
E nessas andanças trilhei meu destino
Pelo mundo saudade que vai
Nas ondas, calçadas, na brisa de paz
Mais uma estrela eu vou buscar
E a magia se revelar
O arco íris no infinito atravessar
Ogunhê, meu protetor
Na avenida até o fim
No asfalto pra vencer
Maior é o Beija-Flor
Meu povo canta assim

Inã inã mojubá, óh meu senhor
Inã inã mojubá Legbara ô
À luz do luar ebó e tambor
Abre os caminhos para a Beija-Flor

O Samba Enredo 2020 da São Clemente

O conto do Vigário

O sino toca na capela e anuncia
Nossa senhora começou a confusão!
Quem vai ficar com a imagem de Maria?
O burro vai tomar a decisão

Mas o jogo estava armado
Era o Conto do Vigário
Nessa terra fértil de enredo
Se aprende desde cedo
Todo papo que se planta, dá
Dom João deu uma volta em Napoleão
Fez da colônia dos malandros capital
Trambique – patrimônio nacional

Tem laranja!
Na minha mão, uma é três e três é dez!
É o bilhete premiado, vendido na rua
Malandro passando terreno na Lua!

Hoje, o vigário de gravata
Abençoa a mamata
Lobo em pele de cordeiro
Eu trago em três dias seu amor
¡La garantía soy yo!
Só trabalho com dinheiro
Chamou o VAR, tá grampeado
Vazou, deu sururu
Tem marajá puxando férias em bangu!

Balança na rede
Abre a janela, aperta o coração
O filtro é a fantasia da beleza
Na virtual roleta da desilusão

Brasil, compartilhou, viralizou, nem viu!
E o país inteiro assim sambou
Caiu na fake news!

Meu povo chegou ôô!
A maré vai virar, laiá!
Na ginga, pra frente, lá vem São Clemente
Sem medo de acreditar!

A lista dos Sambas Enredo 2020 é somente do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Si você está também interessado em conhecer os Sambas do ano pasado, consulta o post Sambas Enredos 2019.